fbpx

InMusic

Tendo como mote a evocação histórica das manifestações e estilos da música erudita e sua estética artística até aos dias de hoje, e na presença de um conceituado elenco de músicos e compositores de renome transnacional, o InMusic procura sublimar combinações musicais com visuais criativos e originais oferecendo, numa visita guiada pelos intérpretes, novas perspetivas da música clássica.
De timbre ligeiro no seu formato, o Ciclo em apresentação assenta numa firme aposta na programação, numa ótica de diversidade cultural, almejando elevar o aprofundamento de um diferente repertório, motivando, assim, a democratização musical e o desenvolvimento artístico da música erudita.
Este projeto considera as atribuições municipais nos diferentes domínios de ação, na promoção e salvaguarda dos interesses próprios das respetivas populações; a mensagem cultural reproduzida pelo projeto INMUSIC, de predicado social e simbólico, a par de uma afirmação contemporânea de interessantes indutores de criatividade artística; o inequívoco e cumulativo efeito positivo da expansão sustentada oriunda da criação de rede de contactos entre músicos; a elevação da sustentabilidade da economia local e do património material e imaterial, destacando aqui o produto cultural Música, com evidentes amenidades na captação de fluxos, e eixo cumulativo de estímulo ao turismo local.

InMusic é uma série de entrevistas e performances periódicas que trazem ao palco dos equipamentos municipais, ou envolventes, os melhores dos melhores. Solistas internacionais, músicos portugueses e figuras ímpares das nossas orquestras e grandes referências mundiais desmistificam as suas carreiras numa conversa informal com recital.

Vendo os seus eventos a serem cancelados ou adiados, o InMusic também procurou soluções e adaptou-se aos meios, continuando a levar a nossa música ao maior número de pessoas possíveis.

Criando assim duas vertentes do InMusic:

“InMusic em Casa”, tem levado conversas, histórias, conselhos e uma breve explicação do instrumento que tocam até nossas casas.

”InMusic Academy”, uma iniciativa global que tem unido todos os continentes à distância de um clique. Onde as grandes referências de instrumentista mundiais tem estado diariamente do outro lado do ecrã com dicas e conselhos que vão enriquecer as rotinas de estudo.

Mickael Faustino – Mentor do InMusic

Iniciou os seus estudos musicais com o professor Rodrigo Carreira na Sociedade Artística e Musical Cortesense, prosseguindo na EPMVC (Escola Profissional de Música de Viana do Castelo) e, depois, na ESMAE (Escola Superior de Música Artes e Espetáculo) na classe dos professores Bohdan Sebestik e Abel Pereira. Terminou o seu mestrado na Hochschule fur Musik und Theater Felix Mendelsohn, em Leipzig, na classe dos professores Thomas Hauschild e Bernard Krug.

Durante a sua formação teve aulas particulares ou masterclasses com Hermann Baumann, Abel Pereira, Marie Luise Neunecker, Radovan Vlakotvic, Friedrich Kettscshau, Carstin Duffin, Bernardo Silva, Froydis Wekre, Jan Golebiowski, Rodolfo Epelde, André Cazalet, Michael Hotzel, Zlabocs Zempleni, Javier Bonet, David Johnson, Zoltan Macsai, Michelle Stebleton, José Vicent Castello, AB Koster, Jonnathan Luxton, Christian Lampert, Ricardo Matosinhos, Nuno Vaz, Zdenek Divoky, Barnabas Kubina, Jiri Havlik, com o American Quartet (Kerry Turner, Charlie Putman, Geoffrey Winter e Kristine Mascher Turner), Jindrich Petras, Hélder Vales, Paulo Guerreiro, Bernardo Amat, Juan Llimerá, Filipe Abreu entre outros.

Como intérprete tem sido seleccionado para as mais prestigiadas orquestras de jovens do mundo como: Gustav Mahler Jugendorchester (2015 a 2017), a Schleswig Holstein Musik Orchestra, a International Youth Philharmonic Orchestra, Estagio Gulbenkian Orchestra, a Youth Philharmonic Orchestra, a Internacional Mahler Orchestra, a Orquestra Young Francogerman-hungarian Philharmonics 2014, a Moritzburg Festival Academy, a The World Youth Wind Orchestra Project 2014, a Kodaly Zoltan World Youth Orchestra, a Bedstone International Summer Youth Orchestral Course (BISYOC), a NJO, a Academia de Verão da Remix, a International Junge Orchestra Academy, a European Youth Week Orchestra, a Branimir Slokar Orchestra Academy, a European Union Youth Wind Orchestra, a The World Youth Orchestra, a Penderecki Akademie Orchestra Westfalen e ainda teve a oportunidade de tocar com a Banda Sinfónica Juvenil da Simon Bolivar no festival World Music Contest 2013 na Holanda.

Com algumas destas orquestras tem tocado nas mais prestigiadas salas de países como: África do Sul, Itália, Grécia, Hungria, Emirados Árabes Unidos, Eslováquia, China, República Checa, Dinamarca, Suíça, Holanda, Líbano, Alemanha, França, Espanha, Luxemburgo, Áustria.

Na temporada 2015/2016 foi praticante na Brandeburgishe Staatorchester Frankfurt e em 2012 fez parte da Fundação Orquestra Estúdio.

É regularmente convidado para orquestras como a BBC Scottish Orchestra, Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música, Orquestra da Comunidade de Madrid, Orquestra Sinfónica do Jalisco, Landestheater Eisenach Orchester, Leipziger Universitats Musik, Orquestra Clássica do Sul, Orquestra de Camara Portuguesa, Orquestra Gulbenkian, Orquestra Metropolitana de Lisboa entre outras, sob a batuta de maestros como Herbert Blomstedt, Krzysztof Urbański, Daniel Harding, David Afkham, Philip Jordan,Lorenzo Viotti, António Saiote, Simon Gaudenz, Howard Griffiths, Thomas Dausgaard ou Jan Cober.

Tornou-se membro da Meritis em 2015.